fevereiro 20, 2008

A Quaresma



Jejuar de ti durante nove dias é tarefa bíblica. Dia quarto, vazio da minha quaresma. Dancei muito, mas faltava-me a tua perna nervosa. Os teus gestos recortados e vigorosos. Como tu! Palhaço exibicionista do circo que montaste dentro da tua tenda. Casa abrigo onde te mostras para te esconderes. Esta abstinência de tu provoca-me dores no corpo. Hoje quis cheirar-te. Injectar-te. Ter-te debaixo da minha pele. Não estavas. Ou por outra, estavas. Em mim. Como um arrepio na espinha. Uma secura na garganta. Bebi então para te lembrar. Fiquei alegre.

Vou dormir na esperança de te sonhar.

1 comentário:

Lia Freitas disse...

O apelo ao sentidos mantêm-nos vivos, mas em nós faz mais do que isso...faz-nos sentir mulheres seguras e confiantes.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...